Falam-se línguas (translate)

sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

...mas são só blogs

Poderia dizer aqui aqui duas ou três coisas sobre o que o que se passou esta manhã na Assembleia da República me fez sentir. Mas o assunto é sério demais para ser tratado neste blog, que é só um blog. 

Poderia dizer-vos que me magoa saber que ao abrigo da defesa de ... - da defesa de quê, mesmo? ainda não percebi - haja quem entenda que uma criança estará melhor privada do amor de uma família do que integrada numa família onde o amor não escolhe sexos, escolhe pessoas, ou  que feche os olhos e diga que sim senhor, que haja amor, desde que não conste dos documentos da criança, que haja quem não perceba que uma família é acima de tudo um núcleo de pessoas que ama, trata, nutre, protege, educa... muito mais do que uma agregação em função do género... Mas temo que o aperto que trago no peito não me deixe escrever o que sinto como sinto, num blog, que é só um blog.

Hoje tenho pena que este blog seja só um blog.

20 comentários:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  2. Família em qualquer bicho que se preze é macho e fêmea, e depois as crias que vierem.
    Macho macho, fêmea fêmea é aberração e vício aberrante
    Só tenho pena das crianças inocentes que não se podem defender e pagam elas pelas aberrações e vícios dos adultos.
    Aprendeu o que é UMA FAMÍLIA?
    E mais não digo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se o anónimo se coloca ao nível de um bicho, fico sem argumentos. Reformulo, fico sem vontade de argumentar. De qualquer forma, deixou bem claro que mais não diria, de pouco me adiantaria dizer-lhe o que quer que fosse. Muito obrigada por partilhar a sua opinião. Tenha uma noite descansada.

      Eliminar
    2. Anónimo só digo que é triste saber que partilho o mesmo planeta que o Senhor. Vá-se curar.

      Eliminar
    3. Para a azia recomendo um Rennie, que dá alívio rápido. Para a pequenez de espírito não conheço solução. Prezo muito a minha privacidade, mas abro uma excepção para dizer que vive debaixo do mesmo tecto que eu um jovem nascido e criado numa família macho e femea (para usar as mesmas palavras). Magoado, triste, com os valores e prioridades baralhados, porque nem todos os casais macho e femea que o anónimo defende têm capacidade para educar. Veja PESSOAS, não vá por aí. E se não chegar, recomendo uma visita a uma instituição que recolha crianças vindas de "famílias tradicionais". Veja, fale com eles e reveja as suas conclusões.

      Mirone, a conversa não era comigo, desculpa ter metido o bedelho.

      Eliminar
  3. É uma coisa que até me dá nervos. Não entendo porque toda a gente não entende que somos todos iguais.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Querias tu mas não tens sorte. Eu visto 38 e tu 44. Bahhhhh!

      Eliminar
    2. Então anónimo, voltávamos ao infantário para medir pilinhas?

      Eliminar
    3. Bem eu acho que não somos todos iguais e ainda bem que assim é. O mundo tem piada é com diversidade. O que deve ser igual para todos é os deveres e direitos. E toda a criança deveria ter o direito de ser amada e ser feliz. Reduzir isso a um modelo feminino e masculino é simplesmente ignorância. Uma criança que tem um Pai e uma mãe e que é agredida e abusada. Isso é uma família?

      Eliminar
    4. Bem eu acho que não somos todos iguais e ainda bem que assim é. O mundo tem piada é com diversidade. O que deve ser igual para todos é os deveres e direitos. E toda a criança deveria ter o direito de ser amada e ser feliz. Reduzir isso a um modelo feminino e masculino é simplesmente ignorância. Uma criança que tem um Pai e uma mãe e que é agredida e abusada. Isso é uma família?

      Eliminar
    5. A repetir comentários não me admira nada que ainda ultrapasse o Salgado com as futilidades das suas Salgadinhas.

      Eliminar
    6. Então anónimo? Ilhéu que as suas visitas e comentários também engrossam os números das estatísticas do blog. Quanto ao PMS, não percebo a que propósito o trouxe à liça... e também não vejo utilidade em deixar-lhe recados aqui, que não me parece que ele venha cá lê-los. Quando tiver qualquer coisa para lhe dizer faça-o na caixa de comentários que ele disponibiliza. Resta-me desejar-lhe um excelente domingo.

      Eliminar
    7. Discriminação, pois claro.
      Olhe que na sua comadrinha P + Picante a menina não diz isso, e ela para cortar em todos sem distinção é uma artista.
      Foi por eu dizer Salgadinhas? Eu refolomulo e passam a ser Salgadetes.

      Eliminar
    8. E sim! Se quer mesmo saber a verdade vinda de gente bem formada como eu, adoptar crianças pela paneleiragem e lesbinicagem é um crime contra natura!

      Eliminar
    9. Diga-me lá, anónimo, onde é que, no blog A Mais Picante ou noutro, critiquei as salgadinhas, salgadetes, o que quer que lhe queira chamar? Até lhe digo mais, se por salgadete entender alguém que é fã do blog Pipoco Mais Salgado, tenho muito gosto em dizer que sou uma delas. Sou-o desde o primeiro ano, lamentei o intervalo que fez, deliciei-me com o Lendário Fábio Ivanildo e vibrei com o seu regresso. É um blog muitíssimo bem escrito e a personagem (personagens, que Ruben também conta) é única e muitíssimo bem construida. A sua opinião é a sua opinião. A minha é outra e, impõe-me a minha formação, não me alongarei em debates quando o tipo de linguagem usada é esse. Volto a pedir-lhe que não use a caixa de comentários do Mirone para falar de outros blogs ou bloggers nos moldes em que o fez.

      Eliminar
    10. Anónimo, pode ser muitas coisas, até pode ser doutorado, mas bem formado não é concerteza, o que disse mostra-o bem.

      Eliminar
    11. Pontos de vista! Quanto a mim as suas concordâncias com respeito à contra natura é que é de gente mal formada.
      O grande problema está exactamente aí. Gente sem instrução que confunde a civilização por degradação.

      Eliminar
  4. Ora essa Paula, fazes muito bem, comenta sempre que queiras.

    ResponderEliminar