Falam-se línguas (translate)

quinta-feira, 10 de julho de 2014

CP?! E vergonha na cara, não?

Durante o mês de Julho muitas escolas e infantários organizam idas à praia com os meninos. 
A escola da minha filha não é excepção. Por acaso, só por acaso, alugam autorcarros para o efeito. Mas, e se um dia quisessem fazer um passeio diferente e decidissem ir à praia de combio? Os meninos iriam gostar, é diferente. Reservavam-se os bilhetes, pagavam-se, e no dia marcado, pela manhã, lá estariam os meninos na estação, felizes da vida, muitos excitados com aquela que seria a sua primeira viagem de comboio, um dia para ficar marcado nas suas memórias. Comigo foi assim, a minha primeira viagem de comboio foi com os coleguinhas do infantário, numa ida à praia. Os bancos eram de pau e o comboio parava em todas as estações e apeadeiros. Ainda assim, guardo com carinho a memória da minha primeira viagem de comboio.

Ontem alguém partilhou esta fotografia no Facebook. Uma escola de Leiria, com antecedência, reservou e pagou bilhetes para levar os seus meninos de comboio a S. Martinho do Porto. Ontem, os meninos não tinham os seus lugares no comboio e fizeram a viagem sentados no chão, no corredor da carruagem. 
Bem sei que os meninos não se importaram, que acharam uma aventura engraçada, que teria sido bem pior ficarem em terra. Mas isso é o que os meninos pensam, são crianças, não têm o discernimento e maturidade que um adulto deve ter.



Senhores da CP, que vergonha!

E espero muito sinceramente que o papel das professoras responsáveis por este grupo e que aceitou que os meninos fizessem a viagem naquelas condições, não se tenha limitado à denúncia da situação nas redes sociais, mas que o tenham feito formalmente, a quem de direito.


Adenda: originalmente este post referia-se à REFER, pois era da REFER que a autora da fotografia se queixava. Um anónimo alertou-me para o erro e por isso fiz as devidas alterações.

52 comentários:

  1. A Refer é uma merda.
    Fiz uma reclamação há dois meses e meio e até agora nem um ai.
    Cócós verdes, se pensam que me vou ficar, estão enganados.
    E essa situação, infelizmente, é só mais uma...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O que é que a REFER tem a ver com a CP ou a Fertagus ou CP Carga ou a Takargo ou a Comsa?

      Eliminar
  2. Sei que não é o cerne da questão, mas as educadoras não deviam ter levado as crianças a lado nenhum. Eu, mãe, tinha-me ido aos arames. É uma falta de segurança inenarrável. E se a carruagem precisasse de ser evacuada de emergência??

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois eu acho que é.
      Deviam ter ficado em terra e denunciado o caso à mesma!

      Eliminar
    2. Exactamente, espero bem que as educadoras tenham apresentado reclamação e impedido que os meninos viajassem assim. que isto de pôr fotosno FB é muito bonito, mas não dá em nada.

      Eliminar
    3. Se eu fosse uma das mães, aquela escola ia-se ver aflita para se ver livre de mim.

      Eliminar
    4. Exactamente! Em última (primeira?) instância os pais entregam as crianças às educadoras, não à refer... (Dizia eu que não é o cerne da questão porque aqui não foi só a Refer que esteve mal... Se a Refer esteve mal, as educadoras não estiveram melhor. Até me sinto a mostarda a subir ao nariz....)

      Eliminar
    5. Não. Entregas as crianças à escola, portanto começa-se pela escola e depois por aí abaixo.
      Nem quero pensar se fose o meu João ali enchouriçadinho e se alguma coisa se tivesse passado.
      Matava, caraças. Matava!

      Eliminar
    6. Ia dizer isso mesmo. que os pais confiaram os meninos às educadoras. Espero mesmo que isto não fique pela denúncia no FB. Efectivamente as educadoras aceitaram que os n«meninos fossem sentados no chão. Acredito que tenham tido pena de deixar os meninos em terra. E se houvesse um azar, a pena onde ficava?

      Eliminar
    7. Sim Mirone, espero bem que a foto fosse para mostrar como as crianças viajariam e não como, efetivamente, viajaram. (Não acredito nada mas pronteS. E o comboio quê? Ficava ali à espera que se montasse e desmontasse o cenário com dezenas de crianças, era?)

      Eliminar
    8. Pelo que li no FB, as crianças viajaram no chão e, à medida que os outrois passageiros iam saindo, os meninos iam passando para lugares sentados.

      Eliminar
    9. Oh pah, oh pah.... Que estas merdas deixam-me tão nervosa... Só espero sinceramente que quem tenha postado isto não tenha sido ninguém com responsabilidades no assunto...

      Eliminar
    10. (não posso jurar a pés juntos, mas tenho ideia que a fotografia foi postada por uma responsável pelo grupo, pelo menos trabalha na escola em questão)

      Eliminar
    11. Eh pah... Um post a fazer queixa dos anormais da Refer, certo? Estou sem palavras, a sério, sem palavras...

      (Posso linkar do meu calma?)

      Eliminar
    12. Sim. A dona da foto pediu que a situação fosse denunciada.

      Eliminar
    13. Sinceramente, sinceramente... Estou-me bem borrifando para o que a dona da foto (que por acaso, tanto quanto sei, até perdeu os direitos sobre ela ao postá-la no FB) pediu ou deixou de pedir.... (Obrigada, querida!)

      Eliminar
  3. Acho isto tudo tão estranho... sabem porquê? Porque morando eu muito próximo digo-vos que esta linha está praticamente deserta. Aliás uma das estações enter os 2 sitios esteve para fechar por falta de movimento mas entretanto lá decidiram reabilitar a coisa.

    O comboio se foi de manhã terá saido de leiria ás 10h10 (não acredito que tenha sido ás 07h13) e a essa hora a um dia de semana não há esse tipo de movimento nessa linha, pode agora ter mais algum mas a este nivel???? Tens o link da partilha no FB?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. às 7h13? Onde é que viste isso Lady-m?

      Eliminar
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Eliminar
  4. São os horários desse comboio. Há um ás 07h13 e outro ás 10h10.

    ResponderEliminar
  5. Bem, a Refer pode ter errado, vendeu bilhetes que não tinha e deixa seguir assim um comboio. Agora e aquelas educadoras??? Eu como Mãe revolta-me que pessoas responsáveis pela segurança dos nossos filhos permitam uma situação destas. Eu se fosse mãe de alguma daquelas crianças ia pedir justificações mas era à escola.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A minha bem podia ficar a chorar baba e ranho na estação, mas não ia sentada no chão da carruagem. Não a levo à solta no banco de trás do meu carro ia permitir que fosse de qualquer maneira no comboio?

      Eliminar
    2. Ora nem mais.
      Já vi a foto no Facebook e realmente quem a partilha é uma das professoras responsáveis pelo grupo.

      Será que não tem sequer noção daquilo que fez? Bem te digo que fosse eu mãe de alguma daquelas crianças virava aquela escola do avesso em 3 tempos

      Eliminar
  6. Se for um comboio regional, os bilhetes não garantem lugar marcado, ficam sujeitos à disponibilidade do comboio.

    "No estrangeiro", onde normalmente temos tendência a dizer que as coisas são melhores feitas (e aqui refiro-me à minha experiência na Bélgica, Holanda e Alemanha) os comboios não têm lugares marcados, a não ser que se pague mais para reservar lugar (e só possível nalguns casos). Vivi na Bélgica e era comum, aos fins-de-semana, os comboios estarem sempre cheios, de modo que havia sempre gente em pé, ou sentada no chão. Também havia imensas excursões de crianças, para as quais havia lugar às vezes, outras não. E ninguém parecia propriamente preocupado com este "problema", muito menos referirem-se a ele no tom indignado deste post e comentários.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu tendo a indignar-me com assuntos que digam respeito a crianças. Bem sei que para eles terá sido uma aventura engraçada, que afinal de contas não aconteceu nada de "mal", chegaram ao destino sãos e salvos, mas não ficaria feliz se soubesse que a minha filha viajou no chão do comboio. Esteve mal a responsável do grupo, que consentiu que os meninos fossem no chão. Esteve mal a REFER que, aparentemente vendeu mais bilhetes do que aqueles que tinha disponíveis. Não me choca que não haja lugares marcados, desde que haja lugares. Se eu pago um bilhete quero ir sentada, seja no lugar 20 seja no 14, mas o mínimo é que tenha lugar.

      Eliminar
    2. Mas a CP dispõe de um serviço quando se trata de viagens de grupos, ainda para mais se dizem que eram mais de 100 crianças. Será que os bilhetes foram comprados todos juntos? Será que a escola se informou corretamente das condições? Não sei, o que eu sei é que como mãe a minha indignação vai para a escola e não para a CP.

      Eliminar
    3. Duvido que aconteça "mais mal" às crianças, em caso de acidente, por irem sentadas no chão, que nos bancos do comboio. Ou que a quem vai em pé. Por essa lógica, todos os lugares deviam ter cintos de segurança e ão devíamos poder levantar-nos durante a viagem, porque, se há um acidente, somos todos projectados, adultos e crianças, sentados ou em pé. A mesma coisa acontece num autocarro, por exemplo, onde é possível viajar em pé e o bilhete que pagamos apenas nos confere entrada no dito veículo, mas não um lugar.

      Eliminar
    4. Então não vê qualquer problema num comboio com mais de 100 pessoas que a sua capacidade? Não vê qualquer problema num comboio do qual se for preciso evacuar tem o chão "minado" de crianças?

      Então a sua definição de segurança, para mim, é uma verdadeira anedota.

      Eliminar
    5. Pelo que descrevem o comboio não ia "com mais de 100 pessoas que a sua capacidade", ia, isso sim, com mais de 100 pessoas que a sua capacidade de lugares sentados. Aparentemente havia espaço para as ditas mais de 100 pessoas viajarem no comboio, mas em pé, ou sentadas no chão, como optaram. Se o percurso era entre Leiria e S. Martinho do Porto estou a assumir que era um comboio regional, que viaja a menor velocidade que os intercidades ou o alfa e que tem regras diferentes das desses comboios.

      Se fosse preciso evacuar o comboio, isso ia ser um problema quer o chão estivesse cheio, ou vazio, de crianças. Ia ser um problema porque em Portugal não fazemos uma educação para a segurança, não estamos habituados a fazer testes de emergência, praticar saídas de evacuação, educar para a cidadania. Coisa que acontece nos países que referi e provavelmente por isso resulta tão bem e não há qualquer problema em haver pessoas a viajar no chão em comboios cheios, porque na eventualidade de acontecer algum problema, as pessoas agiriam de forma bem mais organizada que em Portugal.

      Acho que a escola devia ter tentado planear as coisas de maneira a que esta situação não acontecesse, mas, se não o fizeram (porque acharam que não havia problema, porque assumiram que haveria lugar sentado para todos, ou o que seja), não me parece que deva haver, ainda assim, lugar a 417488908 comentários irados sobre este assunto, como se tivesse sido quase um crime contra as criancinhas terem tido de viajar no chão.

      Eliminar
    6. Depende do tipo de autocarro. Na Renex, por exemplo, os lugares são sentados.
      De qualquer forma, repito, eu achei uma irresponsabilidade deixar as crianças seguirem naquelas condições. Os responsáveis pelo grupo e pelo comboio acharam que não e que eu é que estou a exagerar. São opiniões diferentes, há espaço para todas.
      Na Índia seria um luxo viajar assim, mas não estamos na Índia...

      Eliminar
    7. Anónimo, sabe que algumas pessoas se exaltam quando o assunto são as crianças. Eu falo por mim e admito que possa perder o pé, mas não me parece que os comentários que aqui lê sejam de uma ira por aí além.
      Fico contente que nada "pior" tenha acontecido (aliás, se fossemos pensar no "pior" acho que ninguém saía de casa, sendo certo que em casa também podem acontecer mil e um acidentes), mas achei vergonhoso que deixassem viajar os meninos assim. Como lhe disse, aceito todas as opiniões, coincidam ou não com as minhas.

      Eliminar
    8. A minha indignação é com a escola, porque acredito que 90% daqueles pais não viajariam assim com os seus filhos. É também porque quem publica e partilha a foto é uma das acompanhantes do grupo, ou seja está revoltada porque acha que as crianças não viajam em segurança mas deixou que viajassem na mesma?

      Em relação a se poder andar em pé nos autocarros está obviamente a referir-se a circuitos urbanos (tipo carris), tal como existem os comboios urbanos, onde há paragens constantes e entrada e saída de passageiros, não me parece que sejam comparações a fazer.

      Eliminar
  7. By the way: o que é que a REFER tem a ver com o assunto, que ainda não percebi? Eles são responsáveis rede ferroviária nacional, as in, as infraestruturas, não propriamente sobre o serviço de transporte de passageiros. Quanto muito seria responsabilidade da CP...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tem razão, anónimo. Vou emendar. Obrigada.

      Eliminar
    2. Tem razão. Eu era para ter emendado mas depois fui na onda.

      Eliminar
  8. Os adultos que ali aparecem sentadinhos deveriam ter cedido LOGO os seus lugares. Isso é que era de valor.

    ResponderEliminar
  9. Que eu saiba é hoje obrigatório haver cintos de segurança nas camionetas (já há algum tempo, aliás), muito mais as fretadas pelas Escolas/Juntas de Freguesia que as utilizam para transporte de crianças nesta época balnear.
    Esta situação aqui documentada é, no mínimo, lamentável.
    E sim, quem as deixou entrar no comboio é duma irresponsabilidade atroz.
    Vir, depois, mostrar esta foto com indignação é quase cómico, não fosse muito triste!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Dinada, duas estações à frente entrou outro grupo (de mais 70/80 meninos)...

      Eliminar
    2. Parvalhões inconscientes, TODOS!
      (pobre criançada)
      E a pergunta que se impõe: é para repetir, o passeio???? Talvez desta vez ao belo Gerês???

      Eliminar
    3. As professoras do outro grupo também acharam muito mal, mas a verdade é que também entraram...
      Há aqui qualquer coisa que me escapa. Devo ser muito burra.

      Eliminar
    4. Então eu também sou muito burra, porque a mim também não me encaixa. E os comentários à foto no FB é tipo linchamento à Refer (que nem tem nada a ver) e não há ninguém que questione o que é que passou na cabeça daquelas professoras.

      Eliminar
    5. Acho que se "denunciarem" a situação nas redes sociais se sentem livres de qualquer co-responsabilização (uma espécie de lavar de mãos, como fez Pilatos).

      Eliminar
    6. Pois somos três jericos, aqui em aflições com o pensamento posto nisto: e se os professores dos nossos, se...

      Eliminar
    7. E, rematando, propônho que acrescentes no título do poste: E Professores, a seguir a CP. Mainada!

      Eliminar
    8. Sim, o título ficou dúbio. Devia ser:
      CP?! e vergonha na cara não?
      (a prof denuncia mas consentiu)

      Eliminar
  10. As crianças acharam piada certamente, mas os adultos que os acompanhavam não deveriam ter permitido que seguissem viagem. É inadmissível!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo. Parece-me que a simples indignação não é suficiente.

      Eliminar
  11. Bem, se fosse com a minha filha.... ai, ai! Ficava em terra de certeza! E se por algum motivo embarcasse (o que só aconteceria se nem eu ou o pai lá ficássemos a ver o comboio zarpar):

    1. Em primeiro lugar, a responsabilidade é da escola e das educadoras, a quem os pais entregam e confiam as crianças. Se optassem por seguir viagem, educadoras/escola levariam comigo sem pestanejar

    2. No caso concreto, e visto que as crianças terão mesmo seguido viagem: nenhuma alminha confortavelmente sentadinha se lembrou de dar lugar aos miúdos?

    3. Como já disseram, resta saber as condições de reserva/compra dos bilhetes... de todo o modo, e podendo estar enganada, viajar em pé só é permitido nos suburbanos (e este seria um regional/inter-regional), certo? Assumindo que sim, como a CP garante a segurança dos passageiros, permitindo que viajem assim?!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A Linha do Oeste terá respondido à autora da fotografia via FB começando por dizer que os utentes são responsáveis pela situação no que toca a reclamações, uma vez que não reclamam, afirmando que estão com falta de material (em manutenção/reparação), que por isso não conseguem assegurar o serviço em UDD 0450 e que lamentam a situação.

      Eliminar
    2. Os comboios regionais e Inter-regionais permitem passageiros de pé, dentro da lotação permitida para com o material em causa.

      Eliminar
  12. No verão é recorrente ver esse cenário aqui nos urbanos que passam praias como Espinho, Valadares, etc. Não dá para marcar lugares porque é um comboio urbano!! Já optei por ir no comboio seguinte porque não estive pra me meter nessa confusão nem para aguardar a gentileza de alguém ceder lugar sentada a uma barriguda de 7 meses, porque espero sempre o bom senso de alguém e por norma não acontece, nem na missa quanto mais num comboio!!
    Portanto esse cenário não me é nada estranho. Nesse comboio em particular se pressupõe reserva prévia de bilhetes, então algo correu muito mal...

    ResponderEliminar
  13. 1º este comboio é regional pelo que não tem reserva de lugar.
    2º Os organizadores da "excursão" e uma vez que os grupos eram compostos por dezenas de crianças deviam ter contactado a CP (principalmente os grupos que entraram em Leiria e Martingança, informando a quantidade de passageiros.
    3º Estes comboios têm uma lotação que pressupôe lugares sentadoe e lugares de pé. Será que as restantes carruagens tabém iam com passageiros deitados no chão?
    4º O revisor do comboio só tinha duas opções: Ou deixava seguir todas as crianças, mesmo com sobrelotação da capacidade, ou deixava as dezenas de crianças que se apresentaram nas estações a "ver passar os comboios" sabendo que o próximo comboio só chegaria a S.M Porto cerca das 12h55.
    5º e ultimo não custava nada a quem deu esta "informação" ser um pouco mais astuto: É que trocar a REFER (gestora das infraestruturas pela CP não lembra ao diabo) é a mesma coisa que responsabilizar a ANA por problemas com a TAP ou a Ryanair.............

    ResponderEliminar